Retinopatia Diabética

A retinopatia diabética é uma complicação do diabetes que ocorre em decorrência de danos provocados pela hiperglicemia crônica aos vasos sanguineos incluindo os nossos olhos. A retina é o local que sofre as maiores conseqüências. Inicialmente a doença pode não causar sintomas e geralmente os diabéticos tipo 1 não desenvolvem a retinopatia antes dos 10 anos de doença. portanto, é fundamental a prevenção com visitas regulares ao seu oftalmologista.


Como o Diabetes Causa a Retinopatia ?

O Diabetes não controlado permite que níveis anormalmente elevados de açúcar no sangue (hiperglicemia) possam acumular nos vasos sanguíneos, e desta forma, causar danos que dificulta ou altera o fluxo sangüíneo para os órgãos do seu corpo - incluindo os seus olhos.

Entenda melhor de acordo com as imagens abaixo

Fig 1. Representa um capilar normal, que na verdade são pequenos vasos localizados na superfície da retina;

Fig 2. No diabetes ocorre espessamento da parede destes vasos.

Fig 3. Com isso ocorre uma diminuição progressiva do fluxo sanguíneo (isquemia).

Fig 4. Ocorre perda do pericito(celula que recobre a parede dos capilares)

Fig 5.Causando vazamento de sangue ou exsudação lipidica.

Fig 6. Em estágios mais avançados a isquemia crônica leva a formação de neovasos (vasos anômalos) que trazem sérias consequências a retina.


Quais são os sintomas ?

• Visão turva;
• Pontos ou linhas flutuantes no campo de visão
  (moscas volantes);
• Visão flutuante;
• Áreas escuras ou vazias na sua visão;
• Piora da visão noturna;
• Visão de cores prejudicada;
• Perda da visão.

A Retinopatia diabética geralmente afeta ambos os olhos

Classificação da Retinopatia Diabética

Classificar o tipo de retinopatia fornece ao oftalmologista uma melhor orientação quanto a gravidade de cada caso, o tipo de tratamento a ser instituído e ao prognóstico.

Edema macular clinicamente significativo (EMCS). Este inchaço da mácula é mais comumente associado com diabetes tipo 2. O Edema macular pode causar visão reduzida ou distorcida.

Edema macular diabético normalmente é classificado de duas maneiras:
• Focal, causada por microaneurismas ou outras anormalidades vasculares as vezes acompanhados de vasos
  sanguíneos com vazamento.
• Difuso

Na presença de edema macular você poderá ser beneficiado com a aplicação de Laser (fotocoagulação)

Retinopatia diabética não-proliferativa (RDNP). Nesta fase inicial muitas vezes o diabético não apresenta sintomas visuais , mas o exame da retina pode revelar minúsculos pontos de hemorragias ou microaneurismas. No diabetes tipo 1, estes primeiros sintomas raramente estão presentes antes de três ou quatro anos após o diagnóstico. No diabetes tipo 2, RDNP pode estar presente mesmo no momento do diagnóstico.

Retinopatia diabética proliferativa (RDP). Este tipo de retinopatia diabética é a que apresenta o maior risco de perda visual.

A condição é caracterizada por estes sinais:
• Desenvolvimento de vasos sangüíneos anormais ( neovascularização ) sobre ou próximo ao nervo óptico e
  vítreo.
• hemorragia pré-retiniana , que ocorre no humor vítreo ou na frente da retina.
• Isquemia ( diminuição ou bloqueio do fluxo de sangue),causando a falta de oxigênio necessária para
  manter uma retina saudável.

Estes vasos sanguíneos anormais formados a partir de neovascularização tendem a vazar e sangrar no humor vítreo do olho.


Complicações

A Retinopatia diabética envolve o crescimento anormal de vasos sanguíneos na retina. Complicações podem levar a graves problemas de visão:

Hemorragia vítrea. Os novos vasos sanguíneos podem sangrar na substância gelatinosa que preenche o
  centro de seu olho. Se a quantidade de sangramento é pequeno, você pode ver apenas alguns pontos
  escuros ou moscas volantes. Nos casos mais graves, o sangue pode preencher a cavidade vítrea e
  bloquear completamente a sua visão. Hemorragia vítrea por si só geralmente não causa perda de visão
  permanente. O sangue, muitas vezes é absorvido do olho dentro de algumas semanas ou meses. A menos
  que sua retina seja danificada, a sua visão pode retornar como era antes..
Descolamento de retina. Os vasos sanguíneos anormais associados com a retinopatia diabética estimulam o crescimento de tecido cicatricial, que pode puxar a retina e causar o seu descolamento. Isso pode causar manchas flutuando em sua visão, flashes de luz ou perda de visão severa.
Glaucoma. Vasos sanguíneos novos podem crescer na parte da frente do seu olho e interferir com o
  fluxo normal do líquido para fora do olho, causando aumento da pressão ocular (glaucoma). Esta pressão
  pode danificar o nervo que transporta imagens do seu olho para o cérebro (nervo óptico).
Cegueira


Como é feito o tratamento ?

O Tratamento da retinopatia diabética depende do tipo que você apresenta, de sua gravidade e como a doença respondeu a tratamentos anteriores.


Retinopatia diabética inicial

A retinopatia diabética não proliferativa nesta fase pode não precisar de tratamento imediato. No entanto, o seu oftalmologista irá acompanhar de perto os seus olhos para determinar se você precisa de tratamento. O acompanhamento conjunto com o endocrinologista é muito importante,pois, quando a retinopatia está no estágio leve ou moderado, o bom controle glicêmico pode retardar a sua progressão.


Retinopatia diabética avançada

Em caso de retinopatia diabética proliferativa, você precisa de tratamento imediato (LASER, Triancinolona intravítreo ou drogas anti-angiogênicas). Às vezes, a cirurgia também é recomendado para retinopatia diabética proliferativa grave. Dependendo dos problemas específicos com o retina, as opções podem incluir:

Tratamento com laser focal. Também conhecido como fotocoagulação, o Laser provoca queimaduras na retina com o intuito de parar ou reduzir o vazamento de sangue e de líquido . O Tratamento com Laser focal é geralmente feito em uma única sessão. Sua  visão ficará embaçada por aproximadamente um dia após o procedimento e as vezes, você perceberá  pequenas manchas em seu campo visual, que estão relacionados com o tratamento a Laser.

Panfotocoagulação. Este tratamento a laser, também conhecido como fotocoagulação panretiniana,
  pode causar a regressão dos vasos sanguíneos anormais. Durante o procedimento, as áreas da retina longe
  da mácula são tratados com queimaduras a laser . As queimaduras causam regressão dos vasos anômalos.
  O Tratamento a laser é geralmente feito em duas ou mais sessões. Sua visão ficará embaçada por
  aproximadamente um a dois dias após o procedimento e é provável que ocorra alguma perda da visão
  periférica ou visão noturna após o procedimento.

Drogas Anti-angiogênicas. O Ranibizumab e o Bevacizumabe são drogas compostas por um anticorpo monoclonal que bloqueia a ação do Fator de Crescimento Endotelial Vascula (VEGF), ou seja, impede o crescimento de células vasculares.

Esta medicação é aplicada no interior do olho, num procedimento chamado injeção intravítrea, que poderá ser repetido a critério médico.

Vide ilustração abaixo.

Vitrectomia. Este procedimento pode ser usado para remover o sangue do interior do olho (humor
  vítreo), bem como qualquer tecido cicatricial que esteja proliferando na retina. É realizado em um centro
  cirurgico, sob anestesia local ou geral. Durante o procedimento, o médico faz uma pequena incisão no
  olho. O Tecido cicatricial e o sangue são removidos com instrumentos delicados e substituído por uma
  solução de sal, que ajuda a manter a forma normal dos seus olhos. Às vezes, uma bolha de gás deve ser
  colocado na cavidade do olho para ajudar a reposicionar a retina. Se uma bolha de gás for colocada em seu
  olho, você deverá permanecer preferencialmente em uma posição de bruços até que a bolha de gás se dissipe - muitas vezes durante alguns dias. Você vai precisar de usar um protetor ocular feito em acrílico como forma de maior proteção e usar os colírios recomendados por alguns dias ou  semanas.

A Vitrectomia pode ser seguida ou acompanhada por um tratamento laser (endolaser) se  necessário.

A cirurgia muitas vezes retarda ou impede a progressão da retinopatia diabética, mas não é uma cura. . Mesmo após o tratamento para a retinopatia diabética, você vai precisar exames oftalmológicos regulares. Em algum momento, um tratamento adicional pode ser recomendado.


Como posso prevenir a retinopatia diabética?

• Controle rigoroso do açúcar no sangue (glicemia);
• Controle da pressão arterial;
• Manter uma dieta saudável;
• Controle das taxas de colesterol (gordura sanguinea);
• Exercite-se regularmente;
• Não fume;
• Siga as orientações do seu médico.

Acima de tudo, certifique-se de realizar exames oftalmológicos regularmente.