Degeneração Macular Relacionada a Idade (DMRI)

A degeneração macular relacionada a idade (DMRI) é uma doença que acomete quase 30 milhões de pessoas em todo o mundo e no Brasil cerca de 3 milhões de indivíduos. Afeta predominantemente pessoas acima de 60 anos, porém, pode também decorrer de fatores hereditários e, neste caso, é então chamada degeneração macular juvenil.


O que é a mácula?

A retina é uma fina camada de células nervosas que reveste a parte interna do olho, ela é a responsável pela formação das imagens que captamos, a mácula é a região da retina com tamanho de 2 a 3 mm que promove a visão nítida, central de detalhes e cores. A DMRI causa o afinamento e rompimento desta região da retina prejudicando o funcionamento da mácula.

Quais são os sintomas

A DMRI é uma doença silenciosa e quando o paciente percebe alguma diferença , já pode ser tarde demais. Os sintomas são embaçamento da visão, distorção das imagens, perda das cores, alteração do tamanho dos objetos em relação ao olho sadio e percepção de uma área escura ou vazia no centro da visão. O visão periférica, no entanto, não é afetada.

Quais os tipos de doença macular relacionada a idade?

Existem dois tipos básicos de DMRI , o tipo seco, que afeta 90 por cento dos pacientes e o tipo úmido, que afeta 10 por cento. No tipo seco, o tecido macular atrofia-se lentamente e a característica desta forma seca são as "drusas", que são manchas amareladas visualizadas no exame de fundo do olho. As razões para a formação destas drusas é desconhecida, mas, a exposição a radiação ultravioleta, dieta rica em lipídios, hereditariedade, tabagismo, raça branca e a idade são os principais fatores de risco. Infelizmente ainda não há nenhum tratamento efetivo.

Na DMRI tipo úmida, os vasos sanguíneos da coróide ( tecido abaixo da retina) crescem através de fissuras na barreira de filtragem, que separa a retina da coróide. Esses vasos anormais atingem a mácula, e são referidos como neovascularização de coróide. O vazamento ou sangramento anormal desses vasos é o que causa a perda visual.

Outra causa freqüente de membranas neovascular sub-retiniana é a miopia severa , no entanto, em muitos casos, não há nenhuma razão conhecida pela qual o olho desenvolve a neovascularização de coróide.

Quais os exames necessários para se fazer o diagnóstico?

Isto será uma decisão pessoal de cada médico, mas citaremos alguns:

• Teste da grade de Amsler;
• Mapeamento de retina;
• Retinografia;
• Tomografia de coerência óptica (OCT);
• Angiofluoresceinografia;
• Angiografia com indocianina verde;

Quais as formas de tratamento?

Ainda não existe um meio eficaz de reverter ou deter a degeneração macular na forma atrófica ou seca, mas a forma úmida ou exsudativa pode, em alguns casos ser tratada a LASER evitando-se assim a piora e a progressão da doença. Na terapia fotodinâmica uma medicação(visudyne) é injetada em uma das veias do braço do paciente. Este se espalha pelo corpo concentrando-se nos vasos sanguineos anormais da retina. Em seguida estes vãos são destruídos por pulsos de LASER.

Novas drogas como o bevacizumab e o ranibizumab (medicamentos anti VEGF) revolucionaram o tratamento da DMRI e de outras doenças vasculares da retina nos últimos 5 anos, pois, estudos demonstram que poderá haver ganho de linhas de visão após o tratamento em certas doenças.

Outras formas de terapia incluem:

• Uso de triancinolona intravítreo;
• Laser convencional – fotocoagulação em casos selecionados;
• Cirurgia- Vitrectomia posterior em casos selecionados;
• Uso de polivitaminicos e ômega 3;


Como posso prevenir ?

• Visite regularmente seu oftalmologista principalmente após os 50 anos;
• Utilize óculos escuros com proteção UVA e UVB;
• Realize auto testes com grade de Amsler fornecidos pelo seu médico.


Informações adicionais que você deve saber

• O risco de DMRI exsudativa acometer o outro olho é de cerca de 10 % ao ano, por isso é fundamental
   um acompanhamento rigoroso.
• Cerca de 20 % das pessoas com DMRI tem pais com esta condição, portanto, seus filhos poderão
   apresentar no futuro sinais da doença.
• The Age Related Eye Disease study (AREDS) do National Eye Institute mostraram que altos níveis de
   antioxidantes e zinco reduzem significativamente o risco de doença macular relacionada à idade e sua
   perda de visão associada.


Se eu tiver catarata e DMRI posso operar a catarata?

Depende de uma avaliação conjunta e criteriosa do retinólogo junto ao cirurgião de catarata, pois, dependendo da gravidade da catarata e da DMRI o resultado poderá não ser o esperado.


Na DMRI óculos especiais podem me ajudar?

Sim, óculos para visão subnormal evoluíram bastante nos últimos anos, desta forma estes óculos, dependendo do estágio de sua doença, podem ser usados para reduzir ou minimizar a área de perda de visão e permitem aos pacientes utilizar sua visão periférica de forma mais eficaz.