Cuidado com a conjuntivite neste verão

Durante o verão, sobe o número de casos de conjuntivite, uma inflamação que atinge uma fina membrana transparente localizada sobre a parte branca de nossos olhos. Trata-se de uma doença viral que na maior parte dos casos tem evolução benigna.
A conjuntivite viral é uma doença que provoca vermelhidão, inchaço das pálpebras, coceira, irritação e sensação de olhos secos ou com areia. Os casos aumentam cerca de 20 % nessa época do ano, pois, a temperatura alta favorece a propagação do vírus.

A doença é transmitida por contato físico, e não pelo ar. Por isso, um simples aperto de mãos, o manuseio de um mouse ou de uma caneta, a maçaneta da porta e piscinas podem transmitir a doença caso a pessoa coloque as mãos sujas nos olhos.

Além de evitar a automedicação, os oftalmologistas recomendam lavar as mãos com freqüência, utilizar soro fisiológico 0.9 % de preferência gelado e lágrimas artificiais. Não recomendamos o uso de água boricada, pois, poderá aumentar a toxicidade sobre o olho. A doença se cura de 7 a 15 dias.

Um outro tipo de conjuntivite comum no verão é a conjuntivite tóxica, causada pelo cloro presente nas piscinas.

Portanto, reforçamos que nem todo colírio pode ser usado para tratamento das conjuntivites virais, pelo contrário, alguns podem até piorar ou prolongar o quadro.