Imagens da retina identifica fatores de risco cardiovasculares

Neil Canavan

Um programa de telemedicina na Alemanha facilita a interação entre clínicos e  oftalmologistas e ajuda a identificar pacientes com risco aumentado para eventos cardiovasculares, utilizando informações da retina, segundo um estudo apresentado no Congresso Mundial de Oftalmologia 2012.

"O olho reflete doenças vasculares e neurodegenerativas", disse o apresentador Georg Michelson, MD, da Universidade de Erlangen, na Alemanha. Em particular, a microangiopatia correlaciona-se com certas doenças sistêmicas como hipertensão arterial, derrame e diabetes. Por exemplo, a espessura da parede de um vaso retiniano, encontra-se  aumentado em um acidente vascular cerebral e pode ser visto usando uma câmara para visualizar o fundo do olho.

Dr. Michelson descreveu uma pesquisa anterior feita por sua equipe, que mostrou que o risco de AVC aumentou 6,35 vezes, quando manchas algodonosas estavam presentes, 4,71 vezes, com a presença de  microaneurismas e de  4,25 vezes maior com hemorragias presentes.

Estas associações levaram o Dr. Michelson a desenvolver um programa  chamadoTalkingEyes, constituído por uma rede de 31 clinicos gerais. Os médicos usavam um celular com câmera não midriática para tirar fotografias digitais da retina no consultório. Essas imagens da retina são enviados para um prontuário do paciente baseado na Web, onde são avaliadas por um oftalmologista, que em seguida, adiciona um relatório do paciente e gráfico.

"Se podemos  conectar oftalmologistas e clinicos com uma rede de telemedicina, isso poderia melhorar o cuidado com o paciente," Dr. Michelson explicou.

Neste estudo, 6999 pacientes tiveram exames de retina realizados no consultório do médico de família. Idade mediana dos pacientes foi de 54 anos, índice de massa corporal médio foi de 27,6 kg / m², 40% relataram uma história de hipertensão arterial e 11,1% tinham diabetes tipo 2.

Durante o exame, os médicos tiraram  fotografias da retina, obtiveram amostras de sangue e medida da pressão arterial.

"Em cerca de 20% dos casos, vemos que as decisões terapêuticas estão sendo feitas com base nestes resultados."

“Desta forma os pacientes estão mais conscientes dos seus fatores de risco e procurando com maior frequência a assistencia médica.

Congresso Mundial de Oftalmologia (WOC) 2012.